O Propósito - Ramana Maharshi


O Ser é Sempre o Ser e Não Existe Tal Coisa Como Realizar o Ser

Devoto: Qual é o propósito da auto-realização?

Bhagavan: A auto-realização é a meta final e é em si mesma o propósito.

D: Eu quero dizer, qual é a utilidade disso?

B: Por que você pergunta sobre a auto-realização? Por que você não descansa contente com o seu estado atual? É evidente que você está descontente; e seu descontentamento chegará ao fim, se você realizar a si mesmo (realizar o Ser).

D: Qual é o objetivo deste processo?

B: Perceber o Real.

D: Qual é a natureza da realidade?

B: (a) Existência sem começo ou fim - eterna. (b) Existência em toda parte, interminável - infinita. (c) Existência sublinhando todas as formas, todas as mudanças, todas as forças, toda matéria e todo espírito. Os muitos mudam e morrem, enquanto que o Um sempre perdura. (d) O Um desloca as tríades, tais como - o conhecedor, o conhecimento e o conhecido. As tríades são apenas aparências no tempo e no espaço, ao passo que a Realidade se situa além e por trás deles. Eles são como uma miragem sobre a realidade. Eles são o resultado de uma ilusão.

D: Se eu também sou uma ilusão, quem abandona a ilusão?

B: O "Eu" abandona a ilusão de "eu" e ainda assim continua "Eu". Tal é o paradoxo da auto-realização (ou realização do Ser). O Realizado não vê qualquer contradição nisso. Algumas pessoas que vêm aqui, e não me perguntam sobre si mesmas, mas sim sobre o Jivanmukta (aquele que foi liberado enquanto ainda estava encarnado). Eles perguntam: "O realizado vê o mundo?". "Ele está sujeito ao destino?". "Podemos ser liberados apenas após deixar o corpo; ou é possível enquanto ainda estamos vivos?". "O corpo de um Sábio dissolve-se na luz ou desaparece de uma maneira milagrosa?". Suas perguntas são infinitas. Por que se preocupar com todas estas coisas? A Liberação consiste em saber a resposta para essas perguntas? Então eu lhes digo: - "Não se preocupem a respeito da Liberação. Em primeiro lugar, descubra se existe algo como a escravidão. Examine a si mesmo primeiro". Em certo sentido, falar da auto-realização é uma ilusão. É só porque as pessoas têm estado sob a ilusão de que o não-ser é o Ser e o irreal é o Real, que elas têm que ser tiradas disso por meio de outra ilusão chamada auto-realização; porque, na realidade, o Ser é sempre o Ser e não existe tal coisa como realizar o Ser. Quem é para realizar o que, e como, quando tudo o que existe é o Ser e nada mais que o Ser (Self)?

D: Nós vamos para Svarga (o céu), pelo resultado de nossas ações aqui?

B: O céu é tão real quanto a sua vida presente. Mas se perguntarmo-nos quem somos nós, e descobrirmos o Ser, qual é a necessidade de pensar sobre o céu?

D: O Vaikunta (céu) está no Ser Supremo?

B: Onde está o Ser Supremo ou o céu, senão em você?

D: Mas o céu pode aparecer para a pessoa involuntariamente.

B: O mundo aparece voluntariamente?

D: Deve haver fase após fase de progresso antes de se atingir o Absoluto. Existem diferentes níveis de realidade?

B: Não existem níveis de Realidade, existem apenas níveis de experiência para o indivíduo, não de Realidade. Se alguma coisa pode ser adquirida, que não estava lá antes, também pode ser perdida; enquanto que o Absoluto é eterno, aqui e agora.

Pode um homem tornar-se um oficial de alto escalão apenas ao ver um passar? Ele pode se tornar um, somente se ele se esforçar e se equipar para a posição. Do mesmo modo, pode o ego, que está em cativeiro sendo a mente, tornar-se o Divino Ser simplesmente porque uma vez teve um vislumbre que ele é o Ser? Isso não é impossível sem a destruição da mente? Pode um mendigo tornar-se um rei por apenas visitar um rei, e declarar-se como sendo um?

D: A auto-realização pode ser perdida novamente após ser atingida?

B: A realização leva tempo para estabilizar a si mesma. O Ser certamente está dentro da experiência direta de todos, mas não na forma como as pessoas imaginam. Só se pode dizer que ele é como é. Assim como os encantos ou outros dispositivos podem evitar que o fogo queime um homem, quando de outro modo o queimaria, também os vasanas (tendências inerentes que nos impele a desejar uma coisa e repelir outra), podem velar o Ser quando de outro modo, Ele seria evidente. Devido às flutuações dos vasanas, a Realização leva tempo para estabilizar-se. A realização espasmódica não é suficiente para impedir o renascimento, e não pode tornar-se permanente enquanto existirem os vasanas. Na presença de um grande mestre, os vasanas deixam de ser ativos e a mente torna-se quieta para que resulte o samadhi (a absorção na Realização). Assim como na presença de vários dispositivos de incêndio, o fogo não queima; o discípulo ganha conhecimento verdadeiro e experiência direta na presença de um mestre. Mas se o objetivo é se estabelecer, esforço adicional é necessário. E então, o conhecerá como sendo seu verdadeiro Ser e, portanto, será liberado enquanto ainda vivo. Você é o Ser mesmo agora, mas você confunde sua atual consciência ou o seu ego, com a Consciência Absoluta, ou, o Ser (Self). Essa falsa identificação é devida à ignorância, e a ignorância desaparece juntamente com o ego. Matar o ego é a única coisa a ser feita. A Realização já existe, nenhuma tentativa precisa ser feita para tentar alcançá-la. Por que ela não é nada, novo ou externo a ser adquirido. É sempre e em toda parte - aqui e agora, também.

D: Esse método parece ser mais rápido do que aquele habitual, da pessoa cultivar as virtudes que são alegadas como sendo necessárias para a Realização.

B: Sim. Todos os vícios estão ao redor do ego. Quando o ego se vai a Realização resulta naturalmente.

D: Um Iogue pode saber sobre suas vidas passadas?

B: Você conhece a vida presente tão bem que você deseja saber a passada? Descubra a presente, depois o resto se seguirá. Mesmo com o seu atual conhecimento limitado, você sofre muito. Por que deveria você sobrecarregar-se com mais conhecimento? É para sofrer mais?

D: Bhagavan utiliza poderes ocultos para fazer os outros realizarem o Ser, ou o simples fato da Realização do Bhagavan é o suficiente para isso?

B: A força de realização espiritual é muito mais poderosa do que a utilização de todos os poderes ocultos. Na medida em que não há ego no Sábio, não há "outros" para ele. Qual é o maior benefício que pode ser atribuído a você? É a felicidade, e a felicidade é nascida da paz. A paz só pode reinar onde não haja perturbação, e a perturbação se deve aos pensamentos que surgem na mente. Quando a própria mente estiver ausente, haverá perfeita paz. A menos que a pessoa tenha aniquilado a mente, ela não pode ganhar a paz e ser feliz. E a menos que ela própria seja feliz, ela não pode outorgar felicidade aos "outros". Dado que, no entanto, não há "outros" para o Sábio, que não tem mente, o mero fato de sua auto-realização é por si só suficiente para tornar os "outros" felizes também.

Ramana Maharshi

Fonte: http://ricardo-yoga.blogspot.com/

Próximo artigo - Início

0 comentários:

Postar um comentário

Maior é o que está em vós do que o que está no mundo (I João 4:4)