O Propósito da Sua Vida - John Sherman

A Busca da Verdadeira Identidade

Recentemente me perguntaram em uma reunião qual é o propósito da vida. Tornou-se bastante óbvio para mim que, de maneira quase universal entre os seres humanos, existe um senso profundo de que há uma razão para estarmos aqui nestas vidas, nestes corpos. Que há um propósito para a vida; que a vida culmina em alguma coisa sem a qual ela não é a magnificência da leela (o teatro divino), mas chatice, monotonia, falta de sentido, uma falsa promessa. Parece que os seres humanos são impelidos por um sentido profundo de que estão aqui para fazer ou aprender algo. Existem milhares de religiões, superstições, ideias e filosofias, cujo único objetivo é fornecer uma explicação para esse senso de que existe um propósito para a vida. Todas elas são inúteis.

Outra coisa que percebi recentemente é que todos nós vivemos nossas vidas tentando incessantemente descobrir, compreender ou vislumbrar quem somos afinal de contas: quem deveríamos ser, o que estamos nos tornando, o que não deveríamos ser, o que nossos pais dizem que somos. O que a nossa igreja, a nossa sociedade, os filmes, os romances, os terapeutas, os padres e pastores, os policiais ou os nossos colegas dizem que deveríamos ser. A única coisa que não fazemos é transformar esta busca em algo explícito, porque isso significaria admitir o fato de que não temos a menor ideia de quem somos ou de onde viemos.

Portanto, parece que passamos nossas vidas num frenesi, tentando fazer todo o possível para descobrir, ou nos tornar, ou criar quem somos. E sempre fracassamos. Obviamente fracassamos. É óbvio que fracassamos, já que não temos a menor ideia, não há qualquer possibilidade de descobrir quem somos.

Foi isso que aconteceu na minha vida. Em retrospecto, tudo que fiz nesta vida foi uma tentativa de descobrir ou criar alguém, para que eu pudesse saber quem eu era. Nunca me ocorreu apenas olhar e descobrir por mim memo. Eu não sabia. Eu queria saber. E fiz tudo que pude para criar algo que fosse razoavelmente coerente e permanente para que eu pudesse dizer: "eu sou isto". "É disso que estou falando quando digo eu: o revolucionário comunista, o maquinista, o filósofo, o assaltante de bancos, um cara legal, etc." De certo modo, um homem bom. Tinha que ser um homem bom.

Que surpresa ao descobrir que todo esse tempo eu estava buscando na direção errada! Todo esse tempo eu estava olhando exatamente na direção oposta. Eu estava olhando para fora. Este "lá fora" são os pensamentos, as emoções, os motivos, as intenções, os desejos e a maneira como você olhava para mim. O que você pensava de mim, o que eu pensava que você pensava de mim. Evidentemente eu não podia saber o que você pensava de mim, mas podia ter uma ideia do que eu pensava que você pensava de mim e decidir se era isto que eu queria ser. E o que eu tinha que fazer, seja para me tornar ou rejeitar isto.

Ramana disse que o propósito da vida é você descobrir quem você é. É simples assim. Só o fato disto ser dito e ouvido é um golpe de sorte! É inacreditável. Isto esclarece tudo. Isto explica a razão de toda essa loucura. É claro, é isto que estou fazendo. É claro!

O propósito de sua vida é descobrir quem você é. E como se descobre isso? Você procura a si mesmo. Este é o fio da navalha. Este é o caminho direto, absolutamente não contaminado. Você procura a si mesmo.

Quando você sabe o que está fazendo, quando compreende que o que você está fazendo é tentando descobrir quem você é, a direção de sua atenção, a maneira mais inteligente de fazer isso se torna imediatamente óbvia. Você procura a si mesmo. Você procura a si mesmo na única direção onde há a mínima possibilidade de encontrar a si mesmo: para dentro, em direção àquele que vê, porque este é você. Em direção àquele que faz, àquele que age, porque você acredita que é quem faz, quem pensa, quem sofre e quem se deleita. Em vez de olhar lá fora, em todas as ideias acerca de quem você deveria ser, poderia ser ou não deveria ser, olhe para você.

Em vez de olhar para fora, em todos os conceitos espirituais sobre o que você é: vazio, consciência pura, Deus, alma imortal, seja lá o que for. Em vez de olhar para fora, olhe diretamente para dentro, para aquele que está olhando. Olhe constantemente nesta direção; na direção daquele que está olhando, daquele que está fazendo. Na direção do seu próprio ser.

John Sherman

Fonte: http://www.riverganga.org/Translations/tr-purpose-of-your-life-port.shtml




0 comentários:

Postar um comentário

Maior é o que está em vós do que o que está no mundo (I João 4:4)