Esforço e Naturalidade - John Sherman

A verdade Sobre Seu Ser

Ramana sempre foi muito claro quanto ao caráter prático do que ele oferece. Seu ensinamento não é abstrato, não é um bla-bla-bla espiritual; seu ensinamento é o entendimento, a constatação imediata e instantânea por parte da mente de "quem você é". É o seu ser. E o propósito desta investigação não é encontrar uma resposta. O propósito desta investigação é simplesmente parar a tendência natural da mente de ir para fora e se agarrar às coisas, de se mover constantemente, de vadiar por entre os objetos que aparecem na consciência (que são absolutamente tudo), procurando uma solução para o problema. O propósito é interromper esta tendência da mente e, exercendo todo o esforço necessário, virar a mente para dentro, em direção à sua fonte. E mantê-la ali.

Na minha experiência, este é o maior esforço que já fiz. Ele exigiu uma determinação e uma seriedade de intenção que eu jamais tinha imaginado. Pode ser que para você não seja assim, mas para mim foi realmente difícil.

Não se preocupe se for diferente para você. Não se torture com o que você ouviu falar acerca a naturalidade do ser. A verdade é que não temos a menor ideia do que são esforço ou naturalidade; ou melhor, temos muitas ideias acerca do que são esforço e naturalidade. Ignore todas elas. A promessa de Ramana é que esta investigação, que parece requerer tanto esforço, finalmente se revelará como a própria naturalidade, que dispensa qualquer esforço. Mas não é possível criar esta naturalidade, esta ausência de esforço. Entendemos mal o que é esforço. A verdade é que todo o esforço que fazemos ao longo desta vida consiste em manter a nossa atenção fixa nos objetos que aparecem na consciência e afastada da realidade do nosso ser. Este é o esforço e ele é contínuo. Começa quando acordamos de manhã e continua ao longo do dia, na tentativa desesperada de manter a experiência intermitente de mim mesmo em uma linha contínua. Este esforço é interminável e cansativo. É uma tortura.

Este novo esforço que é oferecido a você aqui visa a descansar a mente em sua fonte. A fonte da mente é o que chamamos de seu ser, simplesmente o seu ser comum de todos os dias. Nada especial. Se for especial, não é o que você está procurando. Você precisa entender isto. Seu ser é isso no qual todas as experiências, boas, ruins, atormentadoras, paradisíacas, em suma, todas as experiências; todos os pensamentos, todos os estados, quaisquer que sejam, vão e vêm. A verdade do seu ser não é um sentimento. Não é a experiência que você tem em satsang. A experiência que surge em satsang é uma graça recebida, indescritivelmente bela, mas ela se vai. Ela aparece e desaparece. Pode permanecer durante anos, mas quando ela vier, você pode ter certeza absoluta de que irá desaparecer, por mais doce que seja. De fato, é esta certeza que todos nós temos, de que tudo que vem tem que ir, que os budistas consideram a semente do sofrimento contida dentro da felicidade nesta vida. É esta certeza não reconhecida de que se ela apareceu, um dia desaparecerá.

Portanto, esqueça as experiências. O que você está buscando não é uma experiência. Você já teve muitas experiências. O que você está procurando não é um novo sentimento. Você já teve muitos sentimentos. O que você está buscando é o seu ser, é você mesmo, cuja única característica é a permanência. É isso que você chama de "eu". Seu ser é aquilo a que você se refere quando diz a palavra "eu". Esta é uma pista. E eu lhe digo para concentrar toda a sua energia, todos os seus recursos, toda a clareza intelectual e inteligência que você tem à sua disposição em um único objetivo: descobrir o que você é.

John Sherman

Fonte: http://www.riverganga.org/Translations/tr-effort-effortlessness-port.shtml




0 comentários:

Postar um comentário

Maior é o que está em vós do que o que está no mundo (I João 4:4)