Devoção - Siddharameshwar


O demônio da dúvida significa pensar que somos um indivíduo (corpo)

Com as mãos em prece, o discípulo curva-se perante seu Mestre, o qual é Shiva. Após prostrar-se, ele diz para o Guru, "Você agraciou-me com este que se curva perante Ti, o Estado de Shiva". Aquele "Estado", que Você concede é "Teu Próprio Ser". Você não permite que a entidade separada na forma de um indivíduo (Jiva), permaneça, então como pode a identificação com o corpo permanecer? Você não perturba nossa vida, mas aceita nosso serviço a Você. Isso significa que o discípulo aparentemente é igual aos outros, no corpo físico. O princípio vivo, movendo-se no discípulo, é tão normal quanto o dos outros homens, mas Você transforma a "Consciência Interior" na vastidão de Shiva. Você dá ao Teu devoto o elevado estado do Ser (Self), o qual está além do corpo, mas de alguma forma o corpo físico ainda serve a Ti.

O grande demônio da dúvida é esse que pensa que somos um indivíduo (corpo), embora sejamos verdadeiramente Brahman. Ao matarmos esse demônio da dúvida, Você carrega esse corpo morto. Quando a noção errônea de que a pessoa é o Jiva se vai, Você carrega o corpo dela, dá o status de Brahman àquele corpo. Então, como Vishnu, o Deus todo-Permeante, mantém unido o corpo e opera através dele, Você reside no corpo como Janardan. Agora, Eknath fugiu. Não há ninguém que seja o proprietário, chamado Eknath, que esteja nesse corpo. Há apenas o Guru, o Mestre, que é Janardan. O som da concha fica evidente por causa daquele que a assopra. Quando este corpo está apto a falar, é porque Você o fez fazê-lo. Este corpo está movendo-se, e fazendo suas atividades por Sua causa, pois o que era "meu" se foi, junto com "eu".

Agora todas as ações são feitas por Você. O sentido de ego que estava no corpo se foi, e é agora substituído por Ti. Agora o reinado do Jiva terminou, e Você, Shiva, é o governante. É através do Seu Prana, que o Prana do corpo funciona. Os olhos que vêem, são Seus olhos, e Seu nariz absorve a fragrância. Você é o percebedor do nariz e dos olhos. Os ouvidos escutam como Você deseja que escutem. A língua capta o sabor através da Tua vontade, e o intelecto compreende através de Teu poder. O que quer que a mente diga, é através da Tua força. Sem Você, a mente não é capaz de dizer nada. Discriminação e "Conhecimento Seletivo" (peneirando o não essencial do Essencial) é possível através da Tua vontade. A fala é um adorno Teu. A compreensão é possível por Tua causa. Estar desperto, ou ter sonhos, é através do Teu poder. Mesmo o sono profundo, é experimentado por Tua causa. Quaisquer coisas que são apreciadas são por causa de Ti. Você está aqui, chamando a si mesmo de "Eu". Através da Tua Graça as pessoas reconhecem este corpo como Eknath. Esse nome é Teu agora. Em vez de Te chamar de Janardan, eles te chamam de Eknath, Mas é apenas Você que age, não Eknath. Ao assumir o nome Eknath, Você tornou-se "o diretor".

É Você que dá vida a tudo neste mundo. Você é a "Vida do Mundo". Você torna possível todas as ações. Você é tão Grandioso Sadguru, Janardan. Saudações a Ti, com Teu Próprio Poder! Lâmpadas de Arati são oferecidas para o Sol, mas a luz da lâmpada é dada pelo Sol. Adorar Shiva é se tornar Shiva. Esta é a adoração Dele. Dessa forma, é Você que dirige o corpo.

Quando a casa queima, todas as peças de madeira e bolos de esterco tornam-se fogo junto com ela. Similarmente, através do fogo do Conhecimento, o "eu" com um corpo tornou-se Conhecimento. Isso significa que o "eu" tornou-se não-existente. E agora apenas sobrou você na forma de Conhecimento. Pelo Teu "Poder", Você está continuando o livro da vida. Dormir, comer, fazer as refeições, tudo, é possível apenas por Tua causa. Tua pureza jamais é manchada. Os auspiciosos e não os auspiciosos são todos um em Ti, Senhor Rama. Quem é esse que diz, "Você é o fazedor de tudo?" Qual o nome deveria ser dado a Ti? É Você que fala assim, é você que está ciente da Consciência. Você é Ti mesmo.

Quando você diz que a dualidade vem à existência, você tem que tomar conta daquilo que é visto, e daquilo que não pode ser visto. Quando apenas a "Experiência Pura" está lá, a trindade do observador, o observado e o ato da observação, vem à existência por causa do engano da mente. Quando você comeu um doce, por que fazer a distinção e dizer "Ele" comeu? Você deve ser muito claro em dizer "Eu sou Brahman" e "Eu desfruto de todos os prazeres". Isso significa que Brahman desfruta Brahman. Após ter conhecido o mundo, e após ter experimentado, "você" (o Ser) ainda está lá, mas você é uma nulidade. Sentir isso é essencial. É o Guru, apenas, que reside no corpo.

Siddharameshwar Maharaj

Fonte: http://ricardo-yoga.blogspot.com/

0 comentários:

Postar um comentário

Maior é o que está em vós do que o que está no mundo (I João 4:4)