Quem é Você? (4) - Papaji (H. W. L. Poonja)

A Ideia de Que Você Está Fazendo Algo, é o Empecilho

Papaji: Quando você tem cinco anos de idade, seus pais tomam conta de você. Quando você cresce e sente que pode tomar conta de si mesmo, você deixa seus pais e trabalha por si mesmo. Seus pais ficam felizes quando você se torna independente. Se você tem problemas, você sempre pode voltar a eles, para ajuda e conselhos e você será sempre bem-vindo. Por que eu estou lhe dizendo isso? Há uma energia, uma graça, a qual alimenta e cuida de você. Você pode voltar a ela para sustento. Esse reservatório é a fonte de toda energia. Ela é a fonte da eletricidade e também de sua própria energia. Não se esqueça que toda sua energia vem de Atman, da Graça. Quando você se conecta com esse reservatório, você tem duzentos por cento mais energia do que tem agora. Volte ao seu pai e veja por si mesmo.

Quando você deixar essa Graça gerir sua vida, você saberá: "isso está vindo da Graça. É sorte minha que eu tenha visto esta graça funcionando". Através dela me foi dada a oportunidade de olhar por minhas crianças, minha esposa, meus parentes, meu país. Quando você funciona a partir deste lugar, você tem uma nova vida. Muitas pessoas que partem daqui me dizem: "De onde vem toda essa energia?" Estávamos sempre ocupados antes, pois trabalhamos ainda mais e nunca estamos fatigados. Agora nos sentimos mais jovens. É como se fossemos trinta anos mais jovens do que quando chegamos a Lucknow!

Jeff Greenwald: Então eu teria oitenta anos de idade! Uma boa idade para um despertar!

P: Sim, sim. De outro modo você seria velho demais. É melhor que seja na infância ou na juventude.

Na idade madura você terá responsabilidades. As crianças o atrapalharão, a sociedade o atrapalhará, as doenças o atrapalharão. O corpo, ele próprio é uma doença. É cheio de complicações. Quando você é velho, sua mente lutará com as doenças. Não será capaz de concentrar. Haverá dificuldades mentais, problemas físicos, relacionamentos, tantas coisas! Portanto é melhor que faça isso na infância ou na juventude. Na infância é melhor, mas na juventude também está bom. Velhos também vêm aqui. Eles estarão melhores da próxima vez.

J: Ontem uma mulher veio ver você. Ela era um pouco mais velha que eu e parece ter tido uma esplendida visita. Quando eu a vi fiquei muito confiante, pois pensei: "ainda tenho tempo".

P: Tempo? Para que tempo? Aqui você se livra do tempo. Por que depender do tempo? Tempo é o passado. Quando você se for daqui, você jogará fora o tempo. Você não precisa do tempo.

Isso aconteceu de fato aqui. Um homem de cerca de 55 anos, veio de Los Angeles, pois não estava satisfeito com seu filho que estava sempre aqui. Ele era um homem rico e queria levar seu filho de volta para trabalhar em um negócio. Ele trouxe centenas de perguntas e queria brigar comigo. Ele queria saber por que eu havia tirado seu filho. Eles alugaram quartos no Hotel Clarks e passou a noite lá até vir me ver. Na manhã seguinte seu filho o apresentou a mim. Ele se sentou à minha frente em minha casa.

O pai disse: "Você veio a mim na noite passada. Você sentou-se na minha cama no Hotel Clarks e respondeu todas as minhas perguntas, agora eu não tenho mais nada a perguntar". Ele tinha um relógio no pulso e o colocou junto a mim dizendo: "Eu não preciso de tempo agora". Ele ficou aqui por 20 dias. Você já viu um americano sem relógio? Até mesmo quando vão para a cama, eles põem um relógio sob o travesseiro. Até quando vão ao banheiro o relógio está lá. Eles são tão cuidadosos, tão pontuais, até mesmo no banheiro. Quando ele estava partindo, eu lhe disse: "E a hora? Se você não tiver um relógio você terá que perguntar a outra pessoa". Ele respondeu: "Não, dá na mesma. Acordar ou ir para a cama - é tudo a mesma coisa. Eu esqueci do tempo. Eu não preciso mais dele". Eu lhe disse: "Não, leve a minha hora", e coloquei o relógio em seu pulso.

Quando você tem tempo, a mente e todas as outras coisas, você tem que se responsabilizar por elas. Mas quando você conhece a beleza da não-mente, e do não-tempo, quem olhará por você? Se você confiar no poder supremo, ele tomará conta de você muito bem.

J: Papaji, quase todos nós somos pessoas de boas posses e de países livres. Visitar você em Lucknow é um privilégio que podemos nos permitir. Para muitas pessoas, liberdade ainda significa liberação de opressão política, de prisão, de tortura. Empecilhos externos são um impedimento à liberdade interna, e se é, você vê lugar para ativismo político no mundo?

P: Circunstâncias externas não são impedimentos. O impedimento é o ego. Impedimentos são criados pelo ego. "Eu devo fazer isso", "Eu não devo fazer aquilo". Esta ideia de que você está fazendo algo, é o empecilho. Se você age sem sentir que é o autor, não haverá qualquer empecilho. O poder Supremo está trabalhando através de você. Ele guiará à medida que as circunstâncias surjam.

J: Eu passei um bom tempo trabalhando pelos direitos humanos. Pessoas em países como Burma, Tibet estão sendo terrivelmente oprimidas. Pessoas são assassinadas ou feridas por outras que as controlam. Você diz que o próprio corpo é uma doença e que algumas vezes, na idade avançada o corpo exerce tal tirania que torna-se muito difícil o despertar. Há lugares onde as pessoas seriam mortas apenas por ir a Satsangs. Estas circunstâncias externas devem ser um impedimento. E uma vez que eles sejam, deve haver uma necessidade de que outras pessoas ajam contra os opressores delas. Você mesmo fez isso nos seus vinte e tantos, se sua biografia for acurada. Como você lida com esse tipo de ação?

P: O mundo está se movendo na direção do desastre. Estamos nos movendo na direção da destruição da própria raça humana. As bombas atômicas e as armas químicas estão nos levando lá. Esse não é o modo de ir. Ao invés disso vamos tentar transmitir compaixão e amor para os seres humanos e todos os outros seres. Vamos tentar isso. Aqui, em Satsang estamos fazendo uma tentativa. Estamos espalhando a mensagem de paz e de amor. Espero que a mensagem se espalhe. Todos os que estão aqui são embaixadores de seus respectivos países. Eles levarão essa mensagem para seus pais e para as outras pessoas em seus países. O fogo se espalhará e um dia você verá o resultado. Você mesmo está indo para casa. Você falará para seu pessoal, para seus amigos e eles descobrirão o que está acontecendo. Você verá uma tremenda mudança. Estou totalmente seguro quanto a isso. Esses tempos agora estão chegando. Temos que aprender a lição ensinada pelas destruições anteriores. Ainda não nos esquecemos de Hiroshima no Japão. Ainda há pessoas sofrendo lá, não podemos esquecer.

Devemos aprender a lição e espalhar a mensagem de amor como era feito nos tempos de Ashoka, quando havia paz em todos os lugares. Não havia guerras. Ele enviou seu próprio filho e sua própria filha para o Sri Lanka, para a China e para países do leste. Foi assim que a mensagem se espalhou. A mensagem de paz foi iniciada por um homem sentado sob a árvore bodhi. A chama do amor é muito poderosa. Uma vez acendida ela dará início a uma conflagração que não poderá mais ser parada. Nem mesmo por armas químicas. Simplesmente medite sozinho. Você pode fazer isso em qualquer lugar, até em seu apartamento. Você verá o resultado. Fique em silêncio, envie a mensagem de paz "que haja paz em todo o mundo, que todos os seres vivam em paz e felizes". Esta onda deve funcionar.

J: Vamos esperar que funcione.

P: Não esperar. Eu não acredito em esperança. Esperança tem a ver com o futuro. Vamos crer no Poder Supremo. Ele olhará pelo mundo muito bem. Ele pode trazer mudanças instantâneas. Ore para o poder Supremo: "Por favor, ajude-nos a estar em paz com todos os seres vivos. Por favor, nos ensine". É muito fácil ensinar aos outros, dar conselhos aos outros. Ajude a si mesmo em primeiro lugar. Descubra você mesmo o que é a paz. Não se importe em ensinar aos outros até que você mesmo tenha aprendido o que ela é.

J: O que você aprendeu de todos os seus anos como professor?

P: Eu não sou um professor. Quem lhe disse que eu sou um professor? O ensinamento de um professor é sempre do passado. Um professor é aquele que lhe diz para fazer isso e aquilo e que se você não fizer irá para o inferno. Isso é um professor. Eu não sou nem professor nem pregador.

J: Vou refazer a pergunta: O que você aprendeu estando sentado nesse lugar em Satsang ao longo dos anos?

P: Amor, amor, somente amor. Eu os amo (gesticula em direção ao público).

J: Então porque Papa, você não me ama também?

P: Eu não o incluo nisso porque você é o amado. Eu os amo, e você é o amado. O que isso significa? Porque você é o Amado, você está sentado perto de mim. (em uma entrevista mais tarde Papaji explicou o que acontece quando a pessoa senta-se perto dele em Satsang: "Eu as absorvo totalmente e lhes dou um assento em meu coração. Assim como o Amante dá assento em seu coração ao Amado, vocês estão sempre sentados em meu coração").

J: Obrigado Papa.

P: Obrigado por vir aqui. Em meu próprio nome eu o agradeço e em nome de minhas crianças eu o agradeço de novo e de novo. Estou muito feliz com suas perguntas. Todos nós nos beneficiamos com essas perguntas. As vibrações desse Satsang não estão confinadas a esse prédio. Elas já foram transmitidas ao mundo inteiro. Você verá.

J: Papa, você tem uma enorme emanação. Todo tipo de receptor pode receber esse sinal.

P: Nenhum receptor, nenhum sinal. Vocês não precisam de nenhum sinal. Para sinalizar você precisa de dois: um para enviar e outro para receber.

J: É claro. Quando vou aprender? (silêncio).

P: (rindo) Você está respondendo minhas perguntas agora. Você me fez tantas perguntas. Eu lhe fiz apenas uma e esta é a resposta a ela. Esse é sinal sem sinalização. Que bonito. O que é isso? Pelo menos agora você pode me dizer. A entrevista acabou. O que é isso?

J: (silêncio).

P: O que é isso? O que está acontecendo dentro? O que é esse contentamento? Você pode senti-lo. Todas as células o estão curtindo. Agora você vê? Elas estão curtindo o néctar. (pegando a folha de perguntas) Eu levarei essas perguntas comigo.

J: Para meu espanto, Papaji, você respondeu a todas elas. Eu pensei que houvesse algumas muito ardilosas, mas todas elas tiveram a mesma resposta.

Papaji (H. W. L. Poonja)


Fonte: http://clarover.blogspot.com/

Copyright 1993, Avadhuta Foundation.
Jeff Greenwald is a prolific author. His books include Mister Raja's
Neighborhood: Letters from Nepal, Shopping For Buddhas, and Future
Perfect: How Star Trek Conquered Planet Earth. His website is here. He lives in Oakland, California.

Tradução do Google:

Copyright 1993, Fundação Avadhuta.
Jeff Greenwald é um autor prolífico.
Seus livros incluem Mister Raja,
Cartas do Nepal, As compras de Buddhas e Futuro Perfeito: Como Star Trek Planeta Terra Conquistada.
Ele vive em Oakland, Califórnia.


Próximo Artigo - Início

0 comentários:

Postar um comentário

Maior é o que está em vós do que o que está no mundo (I João 4:4)